Você desenvolveu um aplicativo incrível e está pronto para colocá-lo no mercado, mas há um ponto importante a ser considerado antes disso: a monetização.

Se você quer que seu app seja lucrativo, precisa pensar com cuidado no modelo de negócio que vai usar, nas estratégias de aquisição, retenção e monetização que vai escolher. Afinal, qual o melhor jeito de ganhar dinheiro?

Definir o modelo de monetização é o primeiro passo:

  • Ele pode ser pago, com seu usuário arcando com a taxa que você definiu.
  • Pode ter compras dentro do app, com conteúdos sendo desbloqueados mediante pagamento.
  • Banners de propaganda de terceiros, que fazem você ganhar com as impressões, cliques e instalações.
  • Mensalidade que dá acesso a um serviço ou conteúdo periódico.
  • Ser gratuito, mas que promova uma operação física de compra e venda.

Como decidir?

O modelo a ser adotado depende muito dos tipos de aplicações móveis. Um aplicativo de produtividade normalmente lucra com o modelo pago, os de jogos abusam das compras In-app e dá muito certo. A mensalidade é bem usada em jornais, revistas, ou com aplicativos como o PlayKids, por exemplo. E, quanto aos apps que funcionam como interface para vendas físicas, podemos citar o EasyTaxi.

Aliás, o modelo do EasyTaxi pode se encaixar em mais de uma frente, já que também lucra com uma mensalidade paga por taxistas que querem ser localizados via aplicativo. Os motoristas que não fazem parte de alguma cooperativa conseguem corridas com mais facilidade e, em troca, pagam ao serviço R$ 70 reais e mais uma taxa de R$ 2 reais por corrida. Ou seja, o dinheiro para os donos do app vem das mensalidades e de uma comissão fixa por corrida.

CTA-Meio-monetização

E a comissão de percentual por transação?

Essa é outra maneira de rentabilizar muito usada, inclusive pela Apple. Das transações que são realizadas no Apple Pay, o sistema de pagamento móvel da marca, um pequeno percentual fica para a empresa (0,15%). O sistema também é perfeitamente aplicável aos apps.

Nada impede que esses diferentes tipos de fonte de renda sejam combinados no modelo de negócios das aplicações mobile. Trabalhar com mensalidades pode parecer mais seguro e garantido, por conta do valor garantido que você tem – e que permite estimar os ganhos com mais precisão. No entanto, depender apenas dessa forma de monetização pode acabar limitando seu faturamento, uma vez que o potencial de compra dos usuários pode ser bem maior.

Lembre-se de explorar as possibilidades que seu aplicativo pode proporcionar em termos financeiros e então trace a meta mais completa possível. Não adianta ter uma ideia brilhante se ela não der lucro como poderia nem lançar um app sem saber ao certo o quanto ele pode dar de retorno – ou você pode acabar estagnado. Não esqueça que as aplicações mobile estão ligadas a sensores externos e que as possibilidades de negócios podem nascer e se expandir a partir desses produtos.

Ficou com alguma dúvida ou não consegue decidir por qual caminho seguir? Aproveite a seção de comentários para perguntar. Estamos aqui para dar o máximo possível de orientações precisas que possam contribuir para o seu sucesso!

CTA-Final-monetizaçao

Comentários